domingo, 22 de março de 2009

Quente domingo de outono

Botafogo 4 x 0 D. Caxias - No Engenhão, mais uma vitória tranquila da equipe de Ney Franco. Sem maiores desgastes. O típico jogo de um grande contra um pequeno, ou seja, "igual" até aquele abrir o placar. Maicossuel (foto: Agência Estado) abriu o marcador após se desvincilhar, em velocidade, do goleiro Borges. O zagueiro e aniversariante Emerson, conquanto a baixa estatura, fez o segundo - de cabeça. Victor Simões e Reinaldo deram números finais à partida. Mais uma goleada. Vale lembrar: a última partida da equipe no Engenhão fora contra o Bangu - 4 a 1. No entanto, nem tudo são flores no reino de Ney Franco. Existem alguns aspectos a serem trabalhados. A zaga, de baixa estatura, perde - principalmente com Juninho - seguidamente disputas em bolas alçadas sobre a área do, ainda inexperiente, goleiro Renan. Para que se tenha uma ideia da gravidade do problema: o melhor zagueiro do Botafogo é, nada mais nada menos do que um volante improvisado - no caso, Leandro Guerreiro. O problema da lateral-esquerda tem de ser sanado. Ali revezam volantes. O que mais atua (Thiaguinho), por seu turno, sequer canhoto - condição sine qua non - é. Gabriel, não obstante a inexperiência, é, pelo menos, canhoto. Ademais, tem entrado bem - se mostrado desenvolto, com personalidade. Deveria ser efetivado.


Com a vitória, o alvinegro assume a liderança do Grupo B e segue à risca o que foi dito após a conquista do primeiro turno: tentar, de todas as maneiras, vencer o segundo para evitar uma final. Com isso, as chances de ser campeão carioca aumentam consideravelmente. Se não chegar as semifinais do returno, o alviengro tem, teoricamente, 50% de chances de conquista. Indo às semifinais e final do returno, acontece algo semelhante àquilo que temos no tênis: duas chances de quebra para o Botafogo. Deve-se, impreterivelmente, considerar isso - sobretudo porque não disputa, por ora, a segunda fase da Copa do Brasil.




******

Vasco 2 x 0 Flamengo - Já no clássico dos milhões, o protagonista da noite foi, infelizmente, o árbitro Luis Antônio Silva Santos. Talvez por problema de auto-afirmação. Não sei. Conseguiu tirar um pouco do brilho de uma partida que tinha tudo para ser belíssima. Digna das tradições de ambos os clubes. O resultado final, no entanto, não é surpreendente.

Já aos 16 minutos da primeira etapa havia um expulso: Willians, volante do Flamengo. Ao cabo do clássico, seriam mais quatro os "premiados": Carlos Alberto, Titi e Ramon, pelo Vasco; Léo Moura, pelo Flamengo. Pelo menos três destas expulsões equivocadas, a meu ver.

A equipe do ótimo técnico Dorival Jr., ao contrário da de Cuca, já encontrou um padrão tático. Joga, a exemplo da de Ney Franco, de acordo com suas limitações. E, mais que isso: tem consciência destas.

O arrumado cruzmaltino chega, correndo por fora e sem badalação, com força para disputar as semifinais do returno e, por que não, com grandes chances de vencer a Taça Rio. Com a vitória sobre o maior rival (quebrando um tabu de dois anos sem vencê-lo), já lidera o Grupo A com 12 pontos. Há de se ressaltar: o Vasco não perde desde a 1ª rodada da Taça Guanabara (!), onde fora derrotado pelo Americano, em São Januário. Em se tratando de um campeonato com o nível do carioca, talvez não seja motivo para júbilo, concordo. No entanto, seus rivais diretos não têm este mesmo retrospecto.

A derrota fará eclodir ainda mais - se possível for - a crise na Gávea. Cuca, reconhecidamente uma pessoa que tem dificuldade em lidar com momentos adversos, possivelmente entregará o cargo à diretoria. Ou vice-versa. A conferir.


3 comentário(s):

Danilo Oliveira disse...

Inteiramente de acordo com tudo postado no blog, fazendo um adendo, imprescindível, para volta do zagueiro Wellington do Botafoto, pois se a zaga estava perdida e com ele encontrou algum rumo, agora sem ele, voltou a ser uma água. Prefiro que improvise outro volante, alto, ali do que pôr zagueiros sem mobilidade, sem noções de marcação e, pior, sem altura nenhuma para posição, padecemos com o sistema defensivo.
A respeito do clássico, o árbitro foi por deveras rigoroso, em quase todas as expulsões, tentando estragar de qualquer forma o clássico, contudo o resultado foi justo.

Maldita Futebol Clube disse...

o botafogo se recuperou de um trem chamado vasco que atropelou o fla e parece caminhar para levar o titulo carioca, falta muito mas as pimpressões me parecem essas nem o flu de fred parece conter esse trem baça do vasco de carlos alberto!

Brasil Empreende disse...

Ola visitei seu blog e gostei muito e gostaria de convidar para acessar o meu também e conferir a postagem desta semana: Super-Campeões estaduais 2009!
Sua visita será um grande prazer para nós.
Acesse: www.brasilempreende.blogspot.com
Atenciosamente,
Sebastião Santos.