quinta-feira, 17 de julho de 2008

Déjà vu

QUA., 16/07/08
Botafogo 4x0 Ipatinga - Atuando de forma convincente e envolvente - o que remeteu ao time de outrora - o Botafogo (12º/15 pts.) goleou o Ipatinga (20º/7 pts.) no Engenhão. Concordo que não precisa muito - com todo respeito - para vencer a equipe do Vale do Aço, mas a equipe carioca não somente venceu, como convenceu. Goleou. O Botafogo por momento nenhum teve sua vitória ameaçada. A surpresa, na verdade, começou nas arquibancadas. Com preços promocionais, compareceram esta noite 10.007 pagantes. Indubitavelmente o maior público do Botafogo, em casa, neste campeonato. O jogo marcou também a estréia de Ney Franco à frente do Botafogo - uma vez que na última partida ele dirigiu a equipe apenas por fazer questão, sem sequer ter tido tempo hábil para treinar. Logo aos seis, depois de receber passe de Triguinho, Zé Carlos (foto: Cléber Mendes) que acertou um petardo - exatamente como fizera no clássico contra o Vasco no Carioca deste ano. Confira! -, inapelável para Rodrigo Posso. Aos dezoito, após receber linda assistência de cabeça (!) de Thiaguinho (guardem este nome), Wellington Paulista fuzilou e marcou outro golaço. Aos quarenta e três, depois de jogada na linha de fundo de Thiaguinho (!), a bola sobrou para Jorge Henrique que, apesar de não ter muita intimidade com as redes - ainda que se diga atacante -, não teve como perder: 3 a 0 e final do primeiro tempo. Na etapa final, logo aos sete, após linda enfiada de Thiaguinho (!), Jorge Henrique só teve o trabalho de concluir e decretar o fim da goleada. Já nos acréscimos, o Botafogo teve um contra-ataque e claríssima chance de dilatar a goleada. O árbitro baiano Arilson Bispo da Anunciação optou por encerrar a partida. Covardia. O destaque da partida, claro, fica por conta de Thiaguinho. Contratado do Boavista (RJ) e volante de origem, teve de ser improvisado como lateral na partida contra o Santos, já que Alessandro (titular) teve estiramento e no elenco não possui outro jogador para a posição. Na Vila Belmiro, participou do lance do primeiro gol, fazendo belíssimo cruzamento para Wellington Paulista concluir, de primeira. E hoje, participou diretamente de três dos quatro gols. Belíssima aquisição do Botafogo. Seria interessante renovar o contrato do jogador para não perdê-lo de graça, mais tarde. Não tardará.
Com a vitória irrefutável, o Botafogo, momentâneamente; consegue atingir a primeira meta de Ney Franco - ficar entre os dez - e passa a vislumbrar melhores posições na tabela. O Ipatinga dá pinta de ter vindo à elite tão-somente a passeio. Uma pena!

■■■■■■

Vitória 1x3 São Paulo - O Tricolor paulista parece, enfim, ter despertado. Venceu com folga e autoridade o Vitória (5º/20 pts.), em meio a um lotado Barradão. Hugo abriu o placar, de cabeça, aos doze. Na segunda etapa, o Vitória, jogando em casa... teve de partir para cima, conseqüentemente deixando brechas em seu setor defensivo. Aos vinte e oito, Dagoberto invadiu a área e, no mano a mano, só teve o trabalho de cortar para a direita e fuzilar o gol de Viáfara. Aos trinta e cinco, após novo contra-ataque, Éder Luís - que havia marcado no clássico de domingo - deu um drible da vaca (como é conhecido no Rio; ou meia lua, em outras localidades) no zagueiro e concluiu. Um golaço! Já aos quarenta e cinco, Dinei descontou para o alvinegro baiano, em gol esquisito. O São Paulo (6º/20 pts.) sobe uma posição e com a sequência de vitórias, volta a sonhar com o tricampeonato nacional. Hoje, seis pontos dividem o tricolor da liderança. O Vitória, como imaginava, não parece mesmo elenco para suportar a temporada e já começa a cair.

■■■■■■

(foto: Agência / Lancepress!)
Figueirense 3x1 Santos - A vitória, esperada. A foto, sintomática. O Figueirense (7º/19 pts.) de PC Gusmão vem numa nítida crescente (três vitórias e dois empates nas últimas cinco partidas), ao passo que o Santos (19º/8 pts.) de Cuca (foto), só não decresce de forma vertiginosa por falta de espaço. O técnico santista não obteve uma vitória sequer à frente da equipe. São dez jogos sem vitória. Oito deles, com Cuca no comando. Após a partida, visivelmente abalado, Cuca entregou o cargo, como de praxe. A diretoria santista, por sua vez, não aceitou e pediu uma reunião com o técnico a fim de resolver seu destino. É público e notório, neste caso especificamente, que uma mudança é necessária. O que não quer dizer que seja necessariamente de técnico. O elenco do Santos é aquém do que se espera, evidentemente. Jogadores, para o ataque, por exemplo, tem de ser contratados. A equipe cria bastante, mas peca na mesma proporção. Fica refém de Kléber Pereira, apenas; que nem sempre resolve. Ao Cuca, penso que a mudança deve ser de postura. Geralmente cabisbaixo - mesmo nas vitórias -, Alex Stival, querendo ou não, tende a passar esse espírito a seus comandados. Cuca, bem como seus times, não lida bem com a adversidade e acaba sucumbindo e/ou degringolando. Pelo que conheço de Cuca, por mais que fique, não conseguirá reanimar esta equipe, tampouco reanimar a si. Segurá-lo, portanto, será desferir um tiro contra o próprio pé e apenas adiar sua despedida. Para alcançar seu primeiro título na carreira, Cuca terá, obrigatoriamente, de ter essa mudança de postura e semblante. Precisa passar segurança e confiança aos seus! Uma vez que nem ele mostra ter... não pode esperar que seus jogadores tenham.
Os gols da segunda vitória consecutiva do Figueira foram marcados por: Edu Salles, de cabeça, aos vinte e sete e aos quarenta e cinco do 1º tempo; Tadeu, aos doze da etapa final, finalizou a goleada.
Triste fim de Alex Stival. Não merece.


■■■■■■

Portuguesa 3x2 Náutico - Após quatro rodadas sem vencer (três derrotas e um empate), a Portuguesa (12º/15 pts.) venceu quando menos se esperava uma vitória. Depois de estar perdendo por 2 a 0 (Felipe, aos quatorze; Gilmar, aos trinta e um) em casa, a Portuguesa voltou ao segundo tempo disposta a, pelo menos, igualar o marcador. Logo aos dois minutos, com Edno (foto: Agência Estado), diminuiu. Com o gol feito logo no início, restava muito tempo para sonhar mais alto. O empate, no entanto, tardou a vir. Saiu apenas aos trinta e sete, com Patrício (ex-Grêmio). A Lusa, ambiciosa, foi atrás e virou com Jonas (ex-Santos). Bela virada! Esta valeu três posições para os lusitanos. O Náutico (8º/17 pts.) perde duas, mas não deixa de fazer uma boa campanha até aqui.

■■■■■■

(foto: Lancepress)
Sport 2x2 Grêmio - Por duas vezes à frente do placar, o Grêmio (3º/22 pts.) não resistiu e apenas empatou com o Sport (11º/15 pts.), na Ilha. O resultado para o tricolor gaúcho, certamente, não é catastrófico. Mas, uma vez construída a vantagem e, se há a ambição de título, não pode se tomar um gol ao apagar dos refletores (o empate aconteceu aos 37 do segundo tempo). O Sport, já garantido na Libertadores-09, não tem mais pretensões na competição, senão terminar esta em uma posição que lhe garanta a permanência na elite do futebol. O que agrava ainda mais o vacilo tricolor. Anotaram os gols desta partida: William Magrão aos sete; Durval aos quinze; Rodrigo Mendes aos dezoito (2º tempo) e Durval aos trinta e sete. Este um ponto, obviamente, não foi trilegal, tchê!

■■■■■■

Palmeiras 3x1 Fluminense - Após alguns percalços, o Palmeiras (4º/21 pts.) voltou a vencer e voltou ao G4. E ali se manterá, ao menos por essa rodada. Após falha grotesca da defesa, Kléber (foto: Lancepress), mesmo que com baixa estatura, abriu o placar aos trinta e três. Inconcebível. No entanto, dois minutos depois, Washington empatou, de cabeça - entende-se! Não satisfeito, o Fluminense (18º/9 pts.) voltou a tomar um gol, de cabeça (!) de Kléber, que recebeu cruzamento milimétrico de Leandro da esquerda, antecipou a Luís Alberto e marcou, logo aos três da etapa final. Acuado, o terceiro era questão de tempo. Aos trinta e dois, depois de outro belo cruzamento de Leandro, Maicossuel - que fazia sua estréia hoje e entrara há quatro minutos - decretou a vitória. De volta ao G4, resta ao Palmeiras manter uma regularidade para galgar posições. Ao Fluminense...resta ânimo, futebol, foco... Há de se aproveitar enquanto a vantagem do primeiro fora da zona (Atlético/MG) ainda é pequena: três pontos ou uma vitória. O Galo, porém, joga amanhã, contra o Internacional, em Porto Alegre. A vantagem, pois, tem tudo para se manter. Basta o Fluminense se ajudar.

■■■■■■

(foto: Agência Estado)
Cruzeiro 1x0 Atlético/PR - Por vantagem mínima, o Cruzeiro (2º/24 pts.) venceu o Atlético/PR (15º/13 pts.) e já faz sombra ao líder Flamengo. A vantagem, a essa altura, é o de menos. Por mais uma vez, o gol foi marcado já no fim do jogo. Aos quarenta minutos, o volante Elicarlos (destaque) se aventurou ao ataque e marcou o único gol da partida. O Cruzeiro entrou desfalcado de seu armador Wágner. O Cruzeiro criava bem; concluía mal. Em um campeonato tão longo como este, não se pode (e não se deve) esperar partidas em grande nível toda rodada. É normal haver a oscilação. Hoje foi o dia do Cruzeiro (e de seus atacantes) que, ainda assim, venceu. Com a vitória apertada, já cola no Flamengo (que hoje perdeu Marcinho para o Al Jazira e tende a perder mais peças) que, por sua vez, tem difícil tarefa nesta quinta: Coritiba, no Couto Pereira. O Atlético/PR, que vinha de dois resultados adversos - um empate em casa e uma derrota -, volta a se aproximar da zona de rebaixamento. A campanha irregular é preocupante.

■■■■■■


SporTV - Hoje (17/07), às 19h na livraria Saraiva do IBMEC - Av. Presidente Wilson, 118 - Centro do Rio, os jornalistas e comentaristas Marcelo Barreto e Armando Freitas lançam o "Almanaque Olímpico SporTV". Faltam apenas 21 dias para a abertura oficial dos Jogos de Pequim 2008. Dá tempo de garantir seu exemplar e se inteirar.
■■■■■■

QUI., 17/06/07
(foto: Itamar Aguiar / VIPCOMM)
Internacional 1x0 Atlético/MG - Invicto há quatro rodadas (dois empates e duas vitórias), o Internacional (8º/12 pts.) tinha como adversário o oscilante Atlético/MG (16º/12 pts.). E não precisou muito para vencer, tampouco para abrir o placar - Nilmar, de cabeça fez logo aos cinco. Ontem, escrevi que dificilmente o Atlético/MG conseguisse um bom resultado, mantendo assim a mesma vantagem (3 pts.) para o primeiro da zona (Fluminense). O resultado poderia ter sido mais dilatado, mas o Colorado parou no ótimo goleiro atleticano, Edson - já havia sido destaque na partida contra o Flamengo, no Mineirão. O Galo chegou timidamente ao ataque e o seu melhor momento foi uma bola na trave, ainda na primeira etapa. Sem Danilinho, que acertou com o Jaguares/MEX, a situação atleticana é ainda mais complicada. O Atlético infelizmente, hoje, é um dos fortes candidatos a maior vergonha de sua história. E o pior: em pleno ano de seu centenário. Já o Internacional subiu uma posição na tabela está a apenas três pontos da zona de Libertadores. Se D'Alessandro vier, realmente, tudo ficará mais fácil pro Colorado. A conferir.

■■■■■■

Vasco 1x1 Goiás - A equipe esmeraldina jogava como se não fosse visitante. Durante toda a partida, quem teve mais fluxo de jogo e as melhores chances de gol foi o Goiás (11º/12 pts.). Do lado do Vasco (11º/15 pts), ainda no primeiro tempo, Alex Teixeira perdeu a melhor chance cruzmaltina. Que ironia do destino! Logo Alex, que esta semana declarou ainda não ser um fenômeno, mas que pode vir a se tornar. É... a finalização, ainda que seja atacante, não é seu forte.
O gol esmeraldino foi marcado por Romerito, aos quarenta e três, que subiu entre a zaga - um dos problemas crônicos do Vasco. E, ainda mais irônico, foi o autor do gol de empate. O zagueiro Luisão, aos quarenta e seis, garantiu o empate. Pouquíssimo. A torcida protestou contra a equipe e Antônio Lopes. É sempre muito fácil pedir a cabeça de um, apenas. O problema é um pouco maior que a ilustre cabeça de Lopes.

■■■■■■

Coritiba 1x0 Flamengo - Era sabido por todos, imagino, que a tarefa do Flamengo (1º/26 pts.) não seria nada fácil. Sem Marcinho, então... Aproveitando-se disso, o Coritiba (10º/17 pts.), que contava com o retorno do bom meia Carlinhos Paraíba, logo abriu o placar com Rodrigo Mancha, aos dezessete, após desferir forte chute de fora da área e contar com o desvio em Fábio Luciano. O rubro-negro forçava as jogadas pelo lado esquerdo, principalmente com o insubstituível (para Caio Jr.) Juan. Mas pecava no último passe. Quando não, na finalização. Marcinho fará e já fez muita falta. Obina ainda tentou, na segunda etapa, mas parou em bela defesa de Édson Bastos - ídolo em Curitiba. O Coxa faz uma campanha interessante. Segue invicto, jogando sob seus domínios. Estará, certamente, na Sul-Americana do ano porvir. Este foi o primeiro resultado negativo (lê-se derrota) do Flamengo, jogando fora de casa. E a vantagem, outrora de cinco pontos... está em apenas dois. Na próxima rodada, o rubro-negro enfrenta, sem Juan (!) - suspenso pelo terceiro cartão - o Vitória, no Maracanã. Longe de ser fácil.

4 comentário(s):

Fura Olho disse...

Fala Diego!!

Ta linkado! Maneiro seu blog, hein...

Abs

Filipe Araújo disse...

Bela análise da rodada, garoto.

Abrazo!

http://gambetas.blogspot.com

Carlão Azul disse...

Mais uma vez o Cruzeiro encosta no líder.

Tomara que consigamos um bom resultado hj contra o Grêmio, será uma parada torta pois só teremos um titular no meio campo, e o desfalque do Wagner é pra ser muito considerado, principalmente se vem junto com o do Ramires e Fabrício.....

Saudações Celestes
SITE/BLOG.....CRUZEIRO: O MAIOR DE MINAS
Sou Cruzeirense - Site - Tudo sobre o clube que manda em Minas
Sou Cruzeirense - BLog - Tudo sobre o clube que manda em Minas
ENTREM E SINTAM-SE A VONTADE

Rakal D'Addio disse...

Legal o apanhado da rodada.

Acho que o clássico contra o Vasco é muito importante para colocar à prova a capacidade do Fluminense sem os Thiagos.