sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Tragédia verde

Palmeiras 0x3 Sport - Mais um percalço para frear as pretensões do Palmeiras (3º/43 pts.) na competição. O adversário é um velho - e temido! - conhecido. O Leão da Ilha. Um Sport (9º/35 pts.) tão despretensioso quanto o chute de Magrão, que deu origem ao primeiro gol do jogo (veja o vídeo), marcado por Roger, que viria a marcar o segundo tento com Durval decretando a goleada. O alviverde paulista segue com problemas seriíssimos. Um meio campo improdutivo, acéfalo - depois da saída de Valdívia. Não há quem crie na equipe. E a defesa é facilmente transponível. Fragilíssima. Toda bola alçada na área é um Deus nos acuda. Embora Vanderley Luxemburgo tenha dito que, antes do jogo, havia treinado justamente essas situações. Não parece. Sem contar o total descontrole de Kléber que está suspenso - a exemplo de Alex Mineiro - para a "decisão" contra o Cruzeiro, na próxima rodada.
No Palestra Itália, este ano, o Palmeiras estava invicto - 14 vitórias, 3 empates. Estava. Com esses consideráveis problemas, fica difícil pensar tão grande quanto alguns sugerem.

• Em tempo: O Palmeiras não vence o Sport desde 2003, na Série B, em Garanhuns (PE), por 2 a 1.





■■■■■■

Vasco 1x3 Cruzeiro - A foto de Maurício Val (VIPCOMM) é emblemática. A partida foi atípica. Longe de mim, querer tirar a supremacia - nítida! - do Cruzeiro (2º/43 pts.), mesmo em São Januário. Aos 23, o Vasco (14º/26 pts.) perdeu sua maior arma, Wagner Diniz, por torção no joelho. Marcus Vinícius entrou, sob vaias, em seu lugar. Aos 26, Jonílson foi expulso, por falta dura. Na cobrança desta, pênalti - claríssimo, feito por Mateus - marcado e convertido por Guilherme. Ramires, André (estreante) e Guilherme - agora com 13 gols -, selaram o placar. Aliás, vale lembrar que o último gol do Cruzeiro nasceu de um pênalti de Tiago, que culminou em sua expulsão - a exemplo do que havia feito contra o Santos, na Vila -, resultando a efetivação de Edmundo (embora o nome para ir para o gol, naquela situação, fosse Alan Kardec) à meta vascaína. Sem o menor jeito para goleiro, Edmundo, como mostra a foto, apenas observou a bola morrer, covardemente - Guilherme, sem nenhuma necessidade, ainda usou da paradinha a fim de ludibriar do veterano "goleiro" - no fundo das redes cruzmaltinas. Com pouco mais de 30 minutos de jogo (portanto, com, no mínimo, mais 15 de jogo) e diante de toda essa situação - Vasco com dois a menos e Edmundo (!) no gol -, o que se viu foi um Cruzeiro acovardado e administrando a partida que já estava vencida e que, certamente, poderia terminar em histórica goleada. Vale lembrar que saldo de gols é, sim, critério de desempate. Neste momento, o líder Grêmio tem 24 gols de saldo, ao passo que o Cruzeiro tem 13. Tenha sido covardia, pena ou sabe-se lá o quê... os gols podem vir a fazer falta.

Em tempo: Pra mim, descabidas as acusações do sentimental Edmundo ao árbitro Rodrigo Cintra. Os pênaltis foram cristalinos, de tão claros. E a expulsão do brucu... Jonílson não foi merecida? Aliás, acho que a alcunha de Edmundo deve ser repassada...Tem, afinal, um legítimo merecedor.




■■■■■■

Goiás 4x0 Atlético/PR - Resultado em momento nenhum ameaçado. Para se ter uma noção da tranqüilidade com que foi construído, pelo Goiás (10º/33 pts.), o expansivo resultado, vale dizer que o Atlético/PR (17º/23 pts.), passou a primeira etapa inteira sem dar um só chute ao gol de Harlei. Em dado momento, tinha dificuldade até para ultrapassar o meio campo. Romerito, Iarley, Vítor e Anderson Gomes anotaram os gols da ampla vitória Esmeraldina. O rubro-negro paranaense dá nítidos sinais de forte candidato ao descenso. E pode seguir sua vertiginosa queda, ao final da rodada, podendo ser ultrapassado por Portuguesa e Náutico - que fecham a rodada, amanhã, contra Internacional e Ipatinga, respectivamente. E o Goiás segue em cômoda posição. À altura de seu material humano.

• Geninho é o novo técnico do Atlético/PR. Apesar de seus últimos trabalhos, no Furacão terá, ao menos, a aceitação da torcida rubro-negra, que já bradava seu nome há tempos nas arquibancadas da Arena. Resta saber se terá MOTIVAÇÃO para tirar o Atlético/PR completo revés. Não acredito. Geninho me parece mais um técnico daqueles ultrapassados - incluiría a esta lista Antônio Lopes, por exemplo. Vive tão-somente de seu título brasileiro, pelo mesmo Atlético, em 2001.

■■■■■■

Para receber as atualizações do blog por e-mail, preencha seu endereço eletrônico no campo referente, no menu à direita.

4 comentário(s):

Filippe disse...

Fala aí,

parabens pelo blog!!!!!

voltarei mais vezes

abraços

Maldita Futebol Clube disse...

destaque para erros do luxemburgo no parque antartica, roubo no apito como galo e o vasco descaradamente... e o bruno de mal com a torcida do urubu!

Carlão Azul disse...

Pra nós essa derrota palmeirense caiu do céu....
Também acho que os pênaltes foram claros, agora não vi o jogo pra comentar com certeza.

abraçõs

Saudações Celestes

SITE/BLOG.....CRUZEIRO: O MAIOR DE MINAS
Sou Cruzeirense - Site
Sou Cruzeirense - BLog
ENTREM E SINTAM-SE A VONTADE

Leandrus disse...

Geninho também está no meu hall de técnicos desacreditados, junto com Vadão e Levir Culpi (que acho que é o melhorzinho dos 3). Ainda não incluo Antônio Lopes nesse grupo, mas ele está se esforçando, rs.

E já está ficando difícil saber se o choro de Edmundo é sincero ou não (se é que choro pode ser classificado assim). Bom, mas que ele tem dito algumas besteiras (às vezes das brabas) quando chora, ah, isso é...

Gostei deste blog. Vou passar aqui mais vezes. Ateh!