domingo, 7 de setembro de 2008

A dois passos do Paraíso

Coritiba 0x1 Botafogo - Onze partidas de invencibildade (a última derrota foi para o São Paulo, no Morumbi). Nestas onze, apenas 3 gols levados - o que lhe coloca, naturalmente, como a 2ª melhor defesa da competição. Quarta vitória (Atlético/PR, Figueirense, Sport e Coritiba) consecutiva fora de casa. Os números do Botafogo (4º/43 pts.), de fato, impressionam. Cabe, mesmo a incrédula torcida alvinegra, sonhar com um vôo maior. Claro, à surdina. Sem se gabar para nenhum rival. Tentando não se iludir demais para que, se porventura não ocorrer, o tombo não doa demais.

No Couto Pereira, destaque, também!, para os goleiros. Vanderlei, sob os olhares do outrora titular absoluto Édson Bastos, fez defesas espetaculares. Inacreditáveis. Belíssimo goleiro que, confesso, não conhecia. Mas a partida teve de tudo. Por isso, há mais de um destaque. A julgar pelas boas campanhas das equipes, era de se esperar um jogo equilibradíssimo - como foi, diga-se -, não obstante o Botafogo tivesse maior volume da partida desde o início. O alvinegro carioca chegava perigosamente com Carlos Alberto, Jorge Henrique, Wellington Paulista... Pasmem! Até mesmo o ínfimo (prova disso é mais um gol de um atleta que não joga na posição) poder de ataque - o maior problema desse Botafogo -, hoje, levou perigo. Parou, todavia, em Vanderle que, não á toa, trabalhou muito. O Coritiba (8º/37 pts.), por sua vez, respondia com Carlinhos Paraíba, Keirrison e cia. Quando não eram interceptados pelo também ótimo Renan (substituto de Castillo), Triguinho fazia as honras da casa, salvando, por duas vezes, a bola em cima da linha. Vale ressaltar que o jogo teve ares de emoção, muito também, pelo dinamismo que o árbitro Leandro Vuaden, à européia, concede às partidas que arbitra. Muito me agrada o estilo. Obriga o jogador brasileiro, "malandro" por natureza, a dar continuidade a uma jogada, em vez de simplesmente se atirar ao solo, se possível for etc. Acho benéfica a atitude. Na etapa final, o Coritiba se perdeu, abusou de passes errados e Thiaguinho, aos 24, que não fazia boa partida, acertou um petardo, indefensável - só assim para, hoje, vencer Vanderlei. Depois do gol, o Coxa passou a atacar mais, muito embora sem sucesso. O Botafogo volta ao G4, que hoje lhe garantiria a participação na Libertadores - torneio que não disputa desde 96 -, podendo, à mineira, almejar um pouco mais. Campeonato não falta. A julgar pela consistente campanha de Ney Franco, é um sonho possível. Com o insucesso, o time de Dorival Júnior estagna na 8ª posição, seis pontos atrás do G4. A Sul-Americana parece ser mesmo o destino do emeregente clube. Nada capaz de ofuscar a, até então, louvável campanha.

■■■■■■

Internacional 1x0 Portuguesa - Vitória, diria, irrisória - haja visto que não faz sequer subir na tabela. Óbvio que são mais três pontos para a conta, mas ante a um elenco recheado de bons nomes, é pouquíssimo. Elenco este que, indubitavelmente, tem tudo para render no ano que vem. Não deu liga quando necessário. Coube a Magrão decretar, por placar mínimo, a vitória Colorada - em passado recente apontada por muitos como candidata ao título, devido às contratações - sobre uma Portuguesa briga apenas para não cair. É verdade que Nilmar e D'Alessandro não atuaram, por estarem servindo suas respectivas seleções nas Eliminatórias. O que não se sustenta, como desculpa, neste contexto. A premissa não é verdadeira. E o Internacional (11º/ ), como vinha enfatizando aqui (sem a pretensão de ser o mensageiro do apocalipse), terá de se contentar com a Sul-Americana. Algo além disso é inimaginável. Aliás, competição na qual estão depositadas todas as esperanças de salvar o ano. Nunca valeu tanto! E Tite, pouco aceito pela torcida, já balança sob os gélidos ventos sulistas...

■■■■■■

Fluminense 0x0 Grêmio - Muita expectativa. Pouco (ou nenhum) futebol. Em pouco mais de 90 minutos alguns raros lampejos, apenas. Destaque para o goleiro Vitor que fez boas defesas quando solicitado. Ainda que, como de costume, o demérito tenha sido do matador (?) Washington que, sistematicamente, perde gols inaceitáveis. O Grêmio (1º/49 pts.), bem ou mal, com uma proposta defensiva, pontua por mais uma rodada. Satisfatório. Mantém a vantagem de cinco pontos. E o Fluminense (17º/25 pts.) retorna à incômoda zona de rebaixamento. Sinal de alerta.

■■■■■■

Náutico 2x0 Ipatinga - Adversário ideal para afastar qualquer crise. Quase como um bônus. Felipe, por duas vezes, tratou de afastar a zebra; e o Náutico (15º/26 pts.), uma vez líder, sai, por ora, da zona. Nada muito animador. A briga na parte de baixo da tabela promete até o fim. E o Náutico não foge à regra. Tampouco o Ipatinga (20º/21 pts.).

■■■■■■

Os gols da 24ª rodada

■■■■■■

Para enviar esta postagem por e-mail, clique abaixo no ícone referente e preencha o campo determinado.

6 comentário(s):

Sobre o Futebol Carioca disse...

O TIME DO BOTAFOGO ESTA MUITO BOM.
ESTA MUITO BEM ARMADO,TEM GRADNE JOGADORES.
LUCIO FLAVIO
CARLOS ALBERTO
TULIO
COM ESSA VITÓRIA DEIXOU O FLA EM 5 LUGAR.

ATÉ Q FIM O INTER GANHOU.

NÃO FOI UM BOM EMPATE PARA O FLUMINENSE, NÃO PERDEU.
MAS DIMINUIU UM POUCO A VANTAGEM DO GRÊMIO PARA O CRUZEIRO.

gerson disse...

se o fogão quiser pensar em título precisa de mais umas 3 vitórias consecutivas, pra pensar em chegar perto do grêmio.
E o Fla, depois do são paulo tem uma seqüência de jogos boa pra ter 4 vitórias consecutivas.

gerson disse...

diego, se der a lógica o fogão vence. Mas não dá pra levar de barbada. O Inter é um time inconstante.
Eu, particularmente, não faço questão q o Inter vença. Só vai ajudar o Grêmio. Como o colorado tá morto então q vença o Fogão pra não perder de vista o greminho. QUem sabe o Goiás não arranca um empate em POA?Improvável, mas não impossível.

sonacanela.blogspot.com disse...

bota.......fogo.

Leandrus disse...

O Ipatinga ainda apronta de vez em quando. Stage Bonus mesmo, só o América-RN do ano passado.

Infelizmente só vi Flu x Grêmio. Infelizmente mesmo, porque poderia ter visto o jogo do Botafogo. Tudo que eu vi foi um Fluminense jogando justamente do jeito que o Grêmio queria: na base dos chutões, principalmente no 2º tempo. Se o Grêmio fosse um pouquinho mais competente no ataque ganhava o jogo...

sonacanela.blogspot.com disse...

valeu pela dica.